Busca:

Etiqueta Arquivos: demanda interna no brasil

Restrição no crédito afeta a atividade econômica


A atividade econômica do País cresceu 0,5% em maio na comparação com abril. Em relação ao mesmo mês de 2010, a expansão da atividade foi de 3,2% e, nos últimos 12 meses encerrados em maio, houve elevação de 5,1%. É o que aponta a pesquisa mensal realizada pela Serasa Experian.

no-money

Segundo o economista da empresa, Luiz Rabi, ao olhar para os meses deste ano, o Brasil continua crescendo. No entanto, ao compararmos os trimestres, é possível notar que as medidas fiscais e monetárias adotadas pelo atual governo começam a produzir trajetória de desaceleração na economia, em linha com as necessidades de se promover a convergência da inflação à sua meta.

Brasil e França firmam parcerias para promover inovação


O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, afirmou hoje, em Paris, durante palestra do “The 2nd Brazil Business Summit”, organizada pela Economist Conferences, grupo da revista britânica The Economist, que “a França pode ajudar muito o Brasil com a sua indústria altamente inovadora por meio da transferência de tecnologia em setores estratégicos”.

FRANCA

Pimentel disse ainda que “nosso país precisa muito do dinamismo da economia francesa e este é o momento para integrarmos, definitivamente, os nossos esforços para o salto da inovação que queremos dar com o lançamento da nova política industrial”.

Em viagem oficial à França, Pimentel se encontrou com o ministro de Economia, François Baroin, e com o assessor especial da Presidência francesa, Jean-David Levitte. Nas audiências, o ministro destacou que o país que mais recebe investimentos franceses no mundo hoje é o Brasil e lembrou ainda que, entre as quarenta maiores empresas francesas, 38 estão firmemente estabelecidas no Brasil.

Mais

Superaquecimento da economia ameaça vários mercados emergentes


Quando o ministro Guido Mantega disse em Londres que o Brasil estava em guerra contra a inflação (de novo), parecia estar citando diretamente a revista “The Economist”, que aponta o Brasil, ao lado de países como Argentina, Indonésia, Índia, Turquia e Vietnã como economias emergentes em ponto de superaquecimento.

Bandera_Brasil

Analisando pontos como inflação, déficit público, balança comercial e crescimento do PIB, o estudo da “Economist” mostra que embora tenha tido um crescimento invejável em 2010, de 7,5% ao ano, o Brasil agora está crescendo rapidamente e de forma insustentável.

A análise da “Economist” levou em conta 27 economias e criou um ranking de superaquecimento, levando em conta seis fatores. O primeiro seria inflação, que avançou em média 6,7% em maio. Mas há um abismo entre os emergentes. Enquanto a inflação ficou na casa de 1,7% em Taiwan, a alta dos preços atingiu 20% ou mais na Argentina, Venezuela e Vietnã. Mais

China cobra do Brasil reconhecimento


O diretor do departamento da América Latina do Ministério das Relações Exteriores da China, Yang Wanming, cobrou, esta semana, o cumprimento das promessas que Brasil e Argentina fizeram, durante os governos Luiz Inácio Lula da Silva e Néstor Kirchner, de reconhecer o país asiático como uma economia de mercado. “As palavras de Lula em 2004 se transformaram em letras mortas”, disse.

OS-BRICS

O diplomata também fez dura crítica às regras antidumping adotadas especialmente pela Argentina. As queixas em relação aos dois maiores países do Mercosul alteraram o tom de uma entrevista do diplomata chinês a jornalistas latino-americanos, em Pequim, no fim da tarde de segunda-feira.

Realizada no suntuoso edifício do Ministério das Relações Exteriores, no bairro de Chaoyang, o mesmo que abrigou a Olimpíada de 2008, a entrevista, em princípio, não poderia se estender além de 40 minutos em razão de outros compromissos, avisou Wanming. O diplomata anotou uma pergunta de cada um dos 16 jornalistas presentes, que representavam o mesmo número de nações. Avisou que daria as respostas de uma só vez. Mais

Emprego e Consumo


O consumo interno vem segurando a onda da economia brasileira, neste 1º semestre de 2011, mesmo diante das medidas de austeridade monetária implementadas pelo Banco Central, desde o final de 2010. De fato, a absorção doméstica continua sendo impulsionada pela combinação entre queda do desemprego e subida dos rendimentos e da geração líquida de empregos formais.

istockphoto_3584033-balancing-the-accounts

A taxa de desemprego nas seis regiões metropolitanas do País acompanhadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) situou-se em 6,4% da População Economicamente Ativa (PEA) em abril de 2011, o menor nível para o mês desde o começo da nova série em 2002, contra 6,5% em março de 2011 e 7,3% em abril de 2010. Já a remuneração real média mensal atingiu R$ 1.540,00 em abril de 2011, com incremento de 1,9% em relação a abril de 2010, apesar do declínio de 1,8% frente a março de 2011.

Mais

Cai Confiança do consumidor em Maio


O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), caiu 2,4% em maio deste ano, em relação ao mês anterior. Segundo a FGV, o índice diminuiu pelo terceiro mês consecutivo, ao passar de 118,2 pontos em abril para 115,4 pontos em maio, o menor nível desde janeiro de 2010 (112,6 pontos).

consejo_empresarial

Tanto a avaliação da situação atual da economia quanto a expectativa dos consumidores quanto ao futuro caíram 2,4% de abril para maio.

O Índice de Situação Atual passou de 140,6 para 137,2 pontos no período. A proporção de consumidores que avaliam a situação econômica local no momento como boa caiu de 29,2% para 25,8%. A parcela daqueles que a julgam ruim passou de 21,2% para 21,8%.

Mais

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil