Busca:

Investimentos da China no Brasil são cortados em 2011


A China colocou o “pé no freio” neste ano em seus investimentos no Brasil. De acordo com dados do Banco Central, de janeiro a setembro de 2011, os asiáticos fizeram investimentos diretos de US$ 333 milhões no país, montante 25% abaixo do registrado no mesmo período de 2010, quando entraram no Brasil US$ 444 milhões.

brasil_china

O protagonismo econômico chinês é acompanhado com atenção pelos líderes mundiais. Na quarta-feira (2), o presidente da China, Hu Jintao, e a presidente Dilma Rousseff participaram de um encontro bilateral. Os líderes estão em Cannes (França) para a 6ª Cúpula do G20.

A China hoje é o maior parceiro comercial do Brasil, à frente dos Estados Unidos. Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, as trocas com os chineses chegaram a US$ 56 bilhões em 2010.

 

No ano, até setembro, considerando todos os países, o Brasil registrou o ingresso de US$ US$ 50,5 bilhões em investimento estrangeiro direto, contra US$ 22,557 bilhões no ano anterior.

Entre os motivos apontados por especialistas para a diminuição do volume investido pela China neste ano estão as medidas protecionistas que vêm sendo adotadas pelo governo brasileiro – como as tarifas sobre a importação de calçados chineses, para proteger os fabricantes locais – e o agravamento da crise europeia, que faz os investidor reavaliar seus planos de negócios.

“Houve realmente diminuição [dos investimentos]. O Brasil tem a sensação de que alguns setores estão sendo invadidos pelos chineses e impõe barreiras [a alta do IPI para carros estrangeiros foi a medida mais recente]. Diante disso, nenhum investidor se sente seguro e confiante em trazer tanto dinheiro para um terreno hostil. Por isso, em alguns casos, acaba revendo onde e no que vai investir. Mas posso dizer que a China continua apostando e enxergando o Brasil como uma grande oportunidade”, disse Tang Wei, diretor-geral da Câmara Brasil-China de Desenvolvimento Econômico (CBCDE).

A política de desvalorização cambial que vinha sendo adotada pela China deu lugar a uma recente valorização do iuan frente ao dólar, contribuindo também para a distribuição dos investimentos chineses, segundo o professor de Economia e Finanças da Fundação Dom Cabral, Rodrigo Zeidan.

Post Relacionados

1 Comentário

RSS de comentários. TrackBack URI

  1. […] Banco Central lembra que em 2011, até novembro, houve o ingresso de US$ 60 bilhões em investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira. Os juros altos (a taxa brasileira real, ou seja, descontada a inflação, […]

    Pingback por Brasil tem o segundo maior ingresso de dólares da história em 2011 — 6 de junho de 2012 #

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil