Busca:

Insuficiências dos modelos das economias de mercado (condições teóricas)


Os modelos pretendem interpretar e dar forma à realidade, logo são simplificações que encerram em si um conjunto de condições teóricas:images

  1. Plena mobilidade dos factores de produção – trabalho e capital.
  2. Perfeita transparência dos mercados.
  3. Manutenção das estruturas de mercados concorrenciais.
  4. Pressuposto de que a livre iniciativa será capaz de dar resposta a todas as necessidades dos consumidores.

Contrariando o pressuposto 4, o estado acaba por intervir nas economias de mercado pelas seguintes razões:

  • Prestação de serviços e produção de bens quando seja insuficiente a iniciativa privada;
  • Controlo das flutuações da actividade económica, do desemprego e da inflação;
  • Promoção de uma maior justiça na repartição do rendimento.

Economias Mistas

O mundo actual compõe-se de misturas entre economias planificas e economias de mercado que variam nas suas proporções consoante os regimes económicos.

Economias Mistas de Mercado

Nos países de economia mista onde predomina o modelo de economia de mercado, a intervenção do estado na actividade económica é considerada normal pela colectividade. Essas economias apresentam tendência para a centralização. A intervenção do estado não se limitou apenas à esfera económica, tendo-se alargado à esfera social, daqui resultando a designação de estado previdência que passou a ser aplicado a alguns estados de economia mista a partir da 2º guerra mundial.

Características dos sistemas mistos

  1. Intervenção parcial do estado na economia;
  2. Coexistência da propriedade privada e estatal dos meios de produção;
  3. Iniciativa empresarial sob vigilância do estado;
  4. Mercado e planeamento económico indicativo como orientadores no processo económico.

Funções económicas que o estado realiza

  1. Enquadramento legal – o estado fixa as regras do jogo económico a que se devem submeter os consumidores, as empresas e até o próprio estado.
  2. Eficiência – o estado com vista a conseguir uma melhor utilização dos recursos promove acções públicas relacionadas com a eficiência.
  3. Equidade – para obterem uma maior justiça social e uma distribuição mais justa do rendimento, o estado recorre a técnicas como a redistribuição do rendimento.
  4. Estabilidade – Com as políticas de estabilização ( políticas monetárias e fiscais ), o estado tenta reduzir as flutuações do ciclo económico, reduzindo o desemprego e a inflação e promovendo o crescimento económico.

Instrumentos que o estado dispõe para realizar a sua função económica

Regulamentações – para além do enquadramento legal, o estado pode impor ou sugerir certas actuações ao aparelho produtivo, através de planos indicativos para o sector privado. Neles, o estado definirá os objectivos que considera proprietários, reduzirá as incertezas dos investimentos ou incentivará os sectores fundamentais para o crescimento económico

Empresas Publicas – são empresas que produzem bens e serviços comercializáveis e cujo proprietário é o estado. O sector empresarial do estado (S.E.E) resulta na maior parte das vezes de um processo de nacionalizações e pode ter uma importância significativa para a actividade económica, por exemplo, fomentar a produção em áreas pouco atractivas para a iniciativa privada, incentivar o consumo, investimento, o emprego, etc., contribuindo assim para a manutenção do equilíbrio global da economia.

Políticas económicas – Tem por objectivo assegurar o bom funcionamento da actividade económica, corrigindo as falhas do mercado, a deficiente distribuição do rendimento, as flutuações do ciclo económico, etc.

Post Relacionados

1 Comentário

RSS de comentários. TrackBack URI

  1. […] no 25 de junho de 2010 Atualmente na Europa tem-se assistido ao desmembramento dos regimes econômicos próximos do modelo de economia de direção central. A organização econômica destes países […]

    Pingback por As respostas das economias mistas de direcção central — 3 de novembro de 2012 #

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil