Busca:

Economia do Brasil desacelera


A economia brasileira deve registrar em 2011 o melhor desempenho em 25 anos, mas o terceiro trimestre deste ano foi, talvez, a pausa para tomar fôlego. Essa pausa, no entanto, não foi suficiente para alterar as posições relativas entre os Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia e China).

desaceleração brasil

O crescimento de 6,7% entre julho e setembro (sobre o mesmo período de 2009) marcou a terceira posição do Brasil no grupo, na qual o país já vinha se mantendo. Na lanterna está a Rússia, que teve um crescimento de 2,7% no trimestre passado.

O desempenho estelar da China, com 9,6% de crescimento, garante ao país uma liderança quase isolada no grupo – a Índia é o candidato que mais incomoda na disputa, com avanço de 8,9%. A distância entre ambos já foi maior: a China cresceu 10,3% no segundo trimestre, e a Índia cresceu 8,8% no mesmo período.

 

A crise pegou o Brasil ainda no quarto trimestre de 2008 – quando estava em seus estágios iniciais, após a quebra do banco americano Lehman Brothers. O país vinha se movendo a um ritmo de 7,1% de crescimento no terceiro trimestre daquele ano (na comparação com o mesmo trimestre um ano antes). Entre outubro e dezembro, no entanto, o PIB (Produto Interno Bruto, soma das riquezas produzidas por um país) desacelerou e subiu apenas 0,8%.

Em 2009, foram três trimestres seguidos de recuo no PIB, com recuperação apenas no fim do ano. As medidas para facilitar o consumo, como a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Importados) para automóveis, material de construção e linha branca (geladeira, fogão e máquina de lavar), conseguiram impedir uma recessão prolongada no país – como no caso dos Estados Unidos (que levaram quase um ano e meio para se recuperarem) e de alguns dos membros da zona do euro (como Grécia, Irlanda, Espanha e Portugal, que ainda enfrentam problemas relacionados à crise).

No entanto, o Brasil possui um vilão na economia que é o dólar desvalorizado, que trouxe um aumento recorde nas importações. Com isso, a indústria nacional se enfraqueceu e ajudou a puxar o PIB brasileiro para baixo. Com mais compras de produtos estrangeiros, a balança comercial – que é a diferença entre as compras e vendas ao exterior – fica negativa.

A Rússia enfrenta problemas com seu principal produto de exportação: o petróleo. Com as economias dos países ricos – os principais compradores do produto – ainda anêmicas, os preços recuaram dos níveis altos em que se encontravam antes da crise e as exportações caíram.

A China conseguiu também evitar efeitos mais graves da crise com ajudas bilionárias, e a Índia tem registrado uma forte recuperação na indústria, no comércio e nos setores de transportes e serviços. O banco central do país tem elevado sua taxa de juros, a fim de desaquecer a economia e controlar a inflação.

graficoBrics

graficoPIBs

Post Relacionados

2 Comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

  1. […] sexta-feira (3) que recebeu com surpresa e preocupação a decisão da Rússia de suspender as importações de carnes de três estados brasileiros, entre eles o […]

    Pingback por Paraná recebe com preocupação embargo da Rússia à importação de carne brasileira — 31 de maio de 2012 #

  2. […] estagnação do volume de vendas do comércio varejista brasileiro em outubro deste ano, na comparação com setembro, reflete a atual situação […]

    Pingback por Resultado do comércio reflete desaceleração da economia — 2 de junho de 2012 #

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil