Busca:

Consumo de combustíveis continuará em positivo


O consumo de combustíveis continuará crescendo significativamente no país, disse nesta quarta-feira (18) o presidente da BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras, José Lima de Andrade Neto. Segundo ele, o consumo de combustíveis tem crescido a taxas aceleradas. Um exemplo é o querosene de aviação. "Porque a aviação tem crescido de um ano para outro entre 4% e 15%".

clip_image002

O consumo de combustíveis no primeiro trimestre cresceu cerca de 5,6% em relação ao mesmo período de 2010, disse. A expectativa é que o consumo continue crescendo no ano, acima do Produto Interno Bruto (PIB). O aumento, de acordo com Lima Neto, é resultado da ascensão da classe C. "Os analistas consideram que a principal variável é a questão do crescimento da classe C, a migração das classes D e E. Isso faz com que a base de consumo aumente. Essa é a motivação".

Preço da gasolina

A diminuição do preço da gasolina, observada nos últimos dias, foi resultado da retomada de produção do etanol, a partir de meados de abril, disse Lima Neto, após participar do 23º Fórum Nacional, promovido pelo Instituto Nacional de Altos Estudos (Inae), no Rio de Janeiro.

A tendência, prevê, é que os preços do etanol continuem caindo, com a entrada da nova safra. Lima Neto admitiu que nesse cenário, a BR poderá vir a fazer alguma nova redução nos preços para revenda. "Provavelmente vão acontecer novas quedas porque a tendência é, com a entrada da safra, os preços do etanol continuarem caindo".

Vendas de álcool

Antes desse processo, as vendas da BR entre novembro e dezembro do ano passado eram divididas em torno de 75% de gasolina e 25% de etanol. No auge da alta do etanol, no fim de abril, ele informou que as vendas de gasolina chegaram a atingir 93%, contra 7% de etanol. Na atual fase de transição, a participação do etanol nas vendas da BR já começou a subir, disse Lima Neto. "E o etanol passou a ter um preço bem mais competitivo". A tendência é voltar à normalidade, afirmou.

Lima Neto admitiu que a demanda crescente é outra variável que tem de ser considerada nessa equação. A frota de automóveis flex vem crescendo no Brasil, "Por outro lado, a frota antiga, que era cativa da gasolina, está sendo alienada, de tal modo que cada vez mais, proporcionalmente, você vai ter na frota brasileira mais carros flex". O problema, apontou, é que a produção de etanol foi menor do que a demanda apresentada.

Post Relacionados

Sem comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil