Busca:

Categoria Arquivos: Acordos Comerciais

Selos verdes para produtos sustentáveis são promovidos pela Zona Franca de Manaus


Representantes da indústria e do governo e trabalhadores da Zona Franca de Manaus estão propondo acrescentar aos produtos da região selos que identifiquem a origem amazônica, assim como a sustentabilidade ambiental e também social.

selo-VERDE-1

No final de 2012, deve entrar em vigor a certificação do Selo Amazônico, proposta por empresários à Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), para produtos que contenham matérias-primas extraídas da floresta.

Serão certificados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) alimentos, cosméticos e fitoterápicos produzidos nos nove estados da Amazônia Legal que, além de serem ecologicamente sustentáveis, remunerem o conhecimento das populações tradicionais e não explorem trabalho escravo ou infantil.

Mais

Após 7 anos de espera, Supercade é aprovado na Câmara


Depois de sete anos de espera, o projeto de lei que cria o Supercade foi aprovado hoje na Câmara dos Deputados, após intensas articulações de última hora que mobilizaram o Palácio do Planalto, o Ministério da Fazenda e o Ministério da Justiça. O texto vai a sanção presidencial.

cade

O texto traz uma importante mudança para a economia brasileira. Ele determina que as fusões e aquisições entre empresas serão analisadas pelo sistema brasileiro de defesa da concorrência antes de o negócio ser fechado. Hoje, o Brasil é um dos poucos países no mundo onde a avaliação é feita posteriormente. A nova lei também funde em um só órgão três estruturas dos ministérios da Fazenda e da Justiça: a Secretaria de Direito Econômico (SDE), a Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) e o próprio Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), daí o apelido de Supercade.

Mais

Aposta no mercado doméstico para enfrentar crise global no Brasil


Ao discursar hoje (5) em Sofia, no encerramento do Fórum Empresarial Brasil-Bulgária, a presidenta Dilma Rousseff falou sobre a crise econômica mundial. Segundo ela, os países desenvolvidos, os mais atingidos pela crise, estão em “encruzilhada”.

dilma-na-bulgaria

“Os países desenvolvidos, que não encontraram equilíbrio entre ajustes fiscais apropriados e estímulos necessários para retomar o crescimento de maneira equilibrada, se encontram numa encruzilhada. Muitas vezes, o que provocou a crise é reafirmado e prescrito como terapia”, disse, em seu discurso na capital búlgara.

Dilma listou fatores que estão ajudando o Brasil a enfrentar este período de turbulência na economia global. Entre eles, a aposta no fortalecimento do mercado doméstico, a expansão do emprego e da renda e o aumento dos investimentos sociais e em infraestrutura.

Mais

UE pode contar com Brasil para sair da crise, diz Dilma


No segundo dia da reunião de cúpula Brasil-UE, a presidente Dilma Rousseff garantiu nesta terça-feira à União Europeia (UE) que o bloco "pode contar com o Brasil" e que os países emergentes estão preparados para "assumir sua responsabilidade" na economia mundial. "Brasil, e aqui tenho a certeza que expresso o sentimento das economias em desenvolvimento, está disposto a assumir sua responsabilidade de forma cooperativa", afirmou Dilma em uma declaração à imprensa após a 5ª cúpula euro-brasileira.

clip_image002

"Somos parceiros da União Europeia, podem contar com o Brasil", declarou diante dos presidentes do Conselho Europeu, Herman van Rompuy, e da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso. no entanto, ela não mencionou valores nem a possibilidade de repasses financeiros. No momento, vários países da zona do euro, como a Grécia e a Espanha, esforçam-se para evitar que a crise acentue os problemas internos de desemprego e alta de impostos e tarifas.

"Estamos agora diante do aumento do risco soberano. Acredito que é fundamental a coordenação política entre os países para fazer face (ao agravamento da crise)", acrescentou. Dilma se reuniu por cerca de duas horas, durante a cúpula, com os presidentes do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, e da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, além de ministros brasileiros. No encontro, os temas que dominaram os debates foram o agravamento da crise econômica internacional, a violência na Síria e os conflitos nos países árabes, além de acordos multilaterais.

Mais

Cúpula entre Brasil e UE tem como centro a cooperação


A presidenta de Brasil, Dilma Rousseff, participa hoje em uma cúpula bilateral com autoridades da União Européia (UE) para tratar temas relacionados com a economia e a cooperação em matéria de ciência e educação.

bra_ue

Rousseff, quem chegou ontem a esta capital, também tem previsto reunir-se com o primeiro ministro em funções da Bélgica, Yves Leterme.

A presidenta participará nesta noite em um jantar oferecido pelos presidentes do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, e da Comissão Européia, José Manuel Durao, segundo fonte da delegação que lhe acompanha.

Nas conversas, que prosseguirão amanhã, também tomará parte a alta representante de política exterior da UE, Catherine Ashton, e o comissário para assuntos comerciais, Karel De Gucht.

Presidente uruguaio crê em suspensão do IPI a veículos do país


O presidente do Uruguai, José Mujica, se mostrou convencido nesta terça-feira de que o Brasil suspenderá em poucos dias as barreiras tarifárias impostas recentemente à entrada de veículos uruguaios no país, como parte de um pacote de medidas para proteger o setor automotivo brasileiro.

Effa

"O problema são as dificuldades jurídicas que podem representar uma demora, e não a decisão de suspender esse imposto para a importação de automóveis do Uruguai", disse Mujica sobre a negociação que funcionários dos dois países fazem nesta terça-feira para resolver a disputa.

Entretanto, fontes oficiais de Brasília dizem que o Governo de Dilma Roussef apenas se comprometeu a estudar uma possível isenção da alta de impostos a automóveis importados para aqueles procedentes do Uruguai. A alta de 30 pontos percentuais dos impostos se aplica aos veículos importados de fora do Mercosul e aos procedentes de países do bloco comercial (Argentina, Paraguai e Uruguai) que não cumpram uma série de requisitos.

Mais

Governo vai manter economia livre de ameaças


A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira que o governo vai defender a economia brasileira de todas as ameças internas e externas para manter a capacidade de crescimento. Dilma esteve presente no lançamento do Pacto pela Erradicação da Miséria, em Arapiraca, Alagoas.

cash

"Não tenham dúvida de que seremos capazes de defender a economia brasileira de todas as ameças internas e externas. Estou me referindo à ameaça da inflação, por exemplo, que corrói a renda do trabalhador e que saberemos responder à altura", disse Dilma.

Mais

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil