Busca:

Cai Índice de Confiança do Comércio em outubro


O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) da Fundação Getulio Vargas recuou 3,3% na comparação entre a média do trimestre findo em outubro de 2011 com o mesmo período do ano passado. Em setembro, a queda havia sido de 1,5% na mesma base de comparação. O resultado confirma a tendência de desaceleração do setor ao longo dos últimos meses.

TAXA1

O ICOM representa o resultado consolidado dos segmentos do Varejo Restrito; Veículos e motocicletas, partes e peças; Materiais para Construção; e Atacado.

No Varejo Restrito, o resultado de outubro pouco difere do resultado geral, com queda de 3,7% do índice de confiança na comparação do trimestre findo em outubro com o mesmo período em 2010. Sob influência do fraco desempenho do segmento de Veículos e motocicletas, partes e peças, o Varejo Ampliado (que inclui ainda Material para Construção), registrou queda de 5,0% no trimestre findo em outubro sobre o ano anterior.

 

Ao comparar-se as variações interanuais do Indicador Trimestral de Confiança entre setembro e outubro, observa-se melhora em oito e piora em nove dos 17 segmentos pesquisados. No Varejo Restrito houve piora em cinco dos nove segmentos. No Varejo Ampliado ocorreu piora em oito dos 13 segmentos. Já no Atacado, houve piora em apenas um dos quatro segmentos pesquisados.

O Índice da Situação Atual (ISA-COM) médio do trimestre findo em outubro ficou 4,5% inferior ao do mesmo período em 2010; em setembro, esta comparação havia apontado queda de -3,7%. O ISA-COM representa o resultado do quesito que mede a percepção do setor a respeito da demanda no presente momento. Na média do trimestre findo em outubro de 2011, 20,7% das empresas avaliavam a demanda como forte e 17,5% como fraca. No mesmo período de 2010, estes percentuais eram de 20,2% e 12,1%, respectivamente.

Em relação aos meses seguintes, as perspectivas dos empresários do Comércio tornaram-se menos otimistas. Após atingir, no trimestre findo em setembro, patamar idêntico ao verificado no mesmo período do ano anterior, o Indicador Trimestral do Índice de Expectativas (IE-COM) de outubro caiu -2,5% em relação a 2010. Entre os quesitos que compõem o IE-COM, a tendência dos negócios nos seis meses seguintes apresenta o pior resultado: embora ainda elevado, o Indicador Trimestral deste quesito passou de 166,1 pontos em outubro de 2010 para 157,2 pontos em outubro deste ano. Das empresas consultadas, 63,3% esperam melhora e 6,0% piora da situação dos negócios no trimestre findo em outubro de 2011, contra 68,8% e 2,6%, respectivamente, em 2010.

O quesito que mede as expectativas com as vendas nos três meses seguintes sinaliza maior otimismo na comparação com 2010, mas a comparação interanual do Indicador Trimestral em outubro (+0,4%) é bem menos favorável que os 5,1% de alta registrados em setembro. A proporção de empresas prevendo aumento das vendas passou de 64,9% do total no trimestre findo em outubro de 2010 para 67,4% em outubro de 2011. No mesmo período, a parcela das que preveem diminuição passou de 3,4% para 5,2% do total.

Post Relacionados

Sem comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil