Busca:

Brasil passa por bom momento econômico mas a crise é ‘complexa’


O diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central, Luiz Pereira, avaliou nesta terça-feira (8), durante abertura do II Colóquio Internacional franco-brasileiro sobre poupança, investimento e moeda, que o país vive um “excelente momento” em sua história econômica recente, mas acrescentou que o atual contexto econômico mundial, marcado pela crise financeira, é “complexo” e que, por isso, a instituição se manterá “vigilante”.

fatores-de-risco-nos-investimentos-em-fundos-imobiliarios-5

“Reunimos condições para crescermos de forma sustentável pelas próximas décadas. E o governo está plenamente empenhado com políticas públicas para que este cenário se concretize e se traduza em benefícios efetivos para toda a sociedade. Temos fundamentos macroeconômicos sólidos, políticas adequadas de reação a crise e um quadro prudencial e regulatório rigoroso”, declarou Pereira.

 

Para o diretor do BC, as crises demandam, entretanto, “respostas rápidas, abrangentes e mensagens harmônicas e claras por parte dos formuladores de políticas econômicas”. “Algumas características dos problemas nos países avançados mostram que mesmo quando encontradas, as soluções para crises dessa natureza, de sobre-endividamento, têm consequências de longa duração. Por isso, o cenário para os próximos anos é muito provavelmente de baixo crescimento das economias maduras. E no curto prazo, estamos vivendo um período de maior volatilidade e incertezas”, afirmou.

Segundo ele, a complexidade do cenário internacional explica porque a “saída” de crises de endividamento é sempre “mais demorada”. Explicou que é necessária a implementação e superação de “processos de ajuste” e “desalavancagem de balanços” privados ou públicos.

“A essa característica estrutural se somou uma combinação de fatores conjunturais nos Estados Unidos e na Europa que tornou o ambiente econômico internacional especialmente volátil e complexo. E essa situação tem afetado negativamente a confiança dos agentes econômicos, com reflexos nas perspectivas de crescimento de economias maduras e repercussão em economias emergentes”, explicou Pereira.

Por conta das perspectivas negativas para os próximos meses, Luiz Pereira afirmou que o Banco Central continuará “vigilante” em relação os desdobramentos da economia global, adotando, “sempre que necessário”, medidas para assegurar a “solidez do sistema financeiro” e a “funcionalidade” dos mercados brasileiros.

O diretor do Banco Central observou também que há “inúmeras oportunidades” de investimentos nos próximos anos, que demandarão recursos, inclusive externos (investimentos estrangeiros).

“É natural que parcela desses investimentos seja realizada com capitais estrangeiros. Ademais, estamos num claro processo de internacionalização das empresas brasileiras. Seja por meio da ampliação das exportações, inclusive para novos mercados, ou da instalação de unidades produtivas em outros países. E essas características fazem com que, nos últimos anos, o Brasil venha se beneficiando de um intenso fluxo de investimentos estrangeiros”, afirmou Pereira.

Post Relacionados

4 Comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

  1. […] Crise da dívida na Zona do Euro, diminuição do consumo e encarecimento do crédito. Depois de um 2011 que teve o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro abaixo das expectativas traçadas no começo do ano – entre 6% e 7% – o próximo ano também não deve ser de expansão muito forte, embora o desempenho tenda a superar os países desenvolvidos. […]

    Pingback por Brasil continuará a crescer em 2012, mas quadro é de alerta para o setor industrial — 2 de junho de 2012 #

  2. […] Em um pronunciamento de dez minutos, veiculado hoje (23) em cadeia nacional de rádio e de televisão, a presidenta Dilma Rousseff passou uma mensagem de otimismo para 2012 aos brasileiros. De acordo com a presidenta, o país está se preparando, tomando medidas para enfrentar as adversidades, caso haja no cenário internacional uma piora da situação econômica. […]

    Pingback por Dilma manifesta otimismo para 2012 na sua mensagem de fim de ano — 6 de junho de 2012 #

  3. […] 2012 “disciplina e ousadia” para a condução da política econômica. Dilma apostou na solidez da economia do País diante da crise financeira internacional para mostrar avanços em seu primeiro ano de […]

    Pingback por Economia deve crescer mais em 2012, projeta BC — 11 de junho de 2012 #

  4. […] volume naquelas mercadorias que você já exporta, mas é uma ajuda no esforço de diversificar as exportações. Significa uma pequena preferência em relação à China, por exemplo, que te dá vantagem na hora […]

    Pingback por Brasil e dez países reduzirão taxa de importação entre si — 4 de novembro de 2012 #

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil