Busca:

Brasil como sexta maior economia do mundo, ultrapassa o Reino Unido


UK relegado para o sétimo lugar no campeonato mundial de maiores economias em 2011, de acordo com a equipe de economistas.

Brasil Sexta Economia Mundial

Rio de Janeiro, Brasil-A economia do Brasil é agora maior do que a do Reino Unido, dizem economistas, crescendo na parte de trás das exportações para a China.

Brasil ultrapassou o Reino Unido para se tornar a economia do mundo sexto maior, de acordo com uma equipe de economistas. O crash bancário de 2008 ea subseqüente recessão relegou o Reino Unido para o sétimo lugar em 2011, atrás a maior economia da América do Sul, que tem crescido na parte de trás das exportações para a China e Extremo Oriente.

 

Rússia e Índia são esperados para beneficiar de um surto de crescimento nos próximos 10 anos e empurrar o Reino Unido em oitavo lugar. Como a maioria das economias, a Índia está lutando com inflação alta e crescimento em desaceleração, mas a sua força de trabalho altamente educada e habilidades em áreas de crescimento de TI e serviços de engenharia vai empurrar a economia para o quinto lugar. Após uma década de venda de petróleo e gás para a Europa e outras partes da Ásia, a Rússia se no número quatro.

A única compensação para os ministros preocupados com queda relativa da Grã-Bretanha é que a França vai cair em um ritmo mais rápido. Nicolas Sarkozy ainda pode se gabar de que a França é a quinta maior economia para trás os EUA no número um, China, Japão e Alemanha, mas em 2020, o Centro de Economia e Business Research (CEBR) prevê que cairá passado no Reino Unido em nono lugar . Alemanha também caiu para o sétimo lugar em 2020.

CEBR executivo-chefe Douglas McWilliams disse: “O Brasil tem batido os países europeus no futebol por um longo tempo, mas batê-los em economia é um fenômeno novo Nosso mundo tabela classificativa econômico mostra como o mapa econômico está mudando, com países asiáticos e commodities, economias produtoras subir a liga enquanto na Europa cair para trás.”

Europa deverá sofrer uma “década perdida” de baixo crescimento após uma farra de crédito nos últimos 20 anos. De pagar dívidas ao longo de um curto espaço de tempo irá restringir o crescimento e impedir muitos países, incluindo o Reino Unido, de agarrar saída de volta perdeu no acidente bancário por muitos anos.

A União Europeia, recentemente descrito por um funcionário chinês como “uma sociedade bem-estar desgastado”, permanecerá bloco a maior do mundo de comércio coletiva, embora uma recessão no próximo ano é esperado para bater o crescimento global. As últimas previsões do CEBR crescimento mundial mostram queda de 2,5% em 2012, uma revisão em baixa da previsão feita em setembro.

No entanto, o CEBR advertiu um cenário que envolve “um ou mais países de deixar o euro, defaults soberanos e os bancos vão busto e que precisam ser resgatadas” reduziria o crescimento mundial em 2012 para 1,1%. A desaceleração do crescimento europeu está previsto para ser ainda mais acentuada, com uma queda do PIB de 0,6% e uma possível queda de 2% se o clube do euro se rompe. A previsão dos EUA é melhor, com crescimento de 1,8%. Economias emergentes, que têm visto suas ações mergulho mercados nos últimos meses, com os investidores avaliam as conseqüências da crise do euro, iria recuperar a sua dinâmica, disse que o CEBR.

China deverá crescer 7,6% ea Índia por 6%. Mas outras economias estrela recente com ligações mais estreitas com a UE ou os preços das commodities tendem a enfrentar uma desaceleração econômica com o crescimento turco desacelerar para 2,5% de 7,1% este ano, a Arábia Saudita, 4%, após 6,1% este ano, a Rússia 2,8%, após 3,8 % este ano, eo Brasil 2,5%, após 2,8% este ano. A economia do Brasil é agora maior do que a do Reino Unido, dizem economistas, crescendo na parte de trás das exportações para a China.

O Brasil ultrapassou o Reino Unido para se tornar a economia do mundo sexto maior, de acordo com uma equipe de economistas. O crash bancário de 2008 ea subseqüente recessão relegou o Reino Unido para o sétimo lugar em 2011, atrás a maior economia da América do Sul, que tem crescido na parte de trás das exportações para a China e Extremo Oriente.

Rússia e Índia são esperados para beneficiar de um surto de crescimento nos próximos 10 anos e empurrar o Reino Unido em oitavo lugar. Como a maioria das economias, a Índia está lutando com inflação alta e crescimento em desaceleração, mas a sua força de trabalho altamente educada e habilidades em áreas de crescimento de TI e serviços de engenharia vai empurrar a economia para o quinto lugar. Após uma década de venda de petróleo e gás para a Europa e outras partes da Ásia, a Rússia se no número quatro.

A única compensação para os ministros preocupados com queda relativa da Grã-Bretanha é que a França vai cair em um ritmo mais rápido. Nicolas Sarkozy ainda pode se gabar de que a França é a quinta maior economia para trás os EUA no número um, China, Japão e Alemanha, mas em 2020, o Centro de Economia e Business Research (CEBR) prevê que cairá passado no Reino Unido em nono lugar . Alemanha também caiu para o sétimo lugar em 2020.

CEBR executivo-chefe Douglas McWilliams disse: “O Brasil tem batido os países europeus no futebol por um longo tempo, mas batê-los em economia é um fenômeno novo Nosso mundo tabela classificativa econômico mostra como o mapa econômico está mudando, com países asiáticos e commodities. economias produtoras subir a liga enquanto na Europa cair para trás.”

Europa deverá sofrer uma “década perdida” de baixo crescimento após uma farra de crédito nos últimos 20 anos. De pagar dívidas ao longo de um curto espaço de tempo irá restringir o crescimento e impedir muitos países, incluindo o Reino Unido, de agarrar saída de volta perdeu no acidente bancário por muitos anos.

A União Europeia, recentemente descrito por um funcionário chinês como “uma sociedade bem-estar desgastado”, permanecerá bloco a maior do mundo de comércio coletiva, embora uma recessão no próximo ano é esperado para bater o crescimento global. As últimas previsões do CEBR crescimento mundial mostram queda de 2,5% em 2012, uma revisão em baixa da previsão feita em setembro.

No entanto, o CEBR advertiu um cenário que envolve “um ou mais países de deixar o euro, defaults soberanos e os bancos vão busto e que precisam ser resgatadas” reduziria o crescimento mundial em 2012 para 1,1%. A desaceleração do crescimento europeu está previsto para ser ainda mais acentuada, com uma queda do PIB de 0,6% e uma possível queda de 2% se o clube do euro se rompe. A previsão dos EUA é melhor, com crescimento de 1,8%. Economias emergentes, que têm visto suas ações mergulho mercados nos últimos meses, com os investidores avaliam as conseqüências da crise do euro, iria recuperar a sua dinâmica, disse que o CEBR.

China deverá crescer 7,6% ea Índia por 6%. Mas outras economias estrela recente com ligações mais estreitas com a UE ou os preços das commodities tendem a enfrentar uma desaceleração econômica com o crescimento turco desacelerar para 2,5% de 7,1% este ano, a Arábia Saudita, 4%, após 6,1% este ano, a Rússia 2,8%, após 3,8 % este ano, eo Brasil 2,5%, após 2,8% este ano.

Post Relacionados

2 Comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

  1. […] revista britânica diz que o “Brasil decola”. A publicação afirma que o País deve se tornar a quinta maior economia do mundo em uma década após 2014, ultrapassando o Reino Unido e a França. No entanto, avalia que […]

    Pingback por Brasil pode ser a 5ª economía mundial — 24 de maio de 2012 #

  2. […] Tanto o FMI como a EIU e o Business Monitor International (BMI) haviam previsto que o Brasil ultrapassaria até ao final do ano o Reino Unido, passando a ocupar o lugar de sexta maior economia mundial. […]

    Pingback por Brasil deve se tornar a 6ª maior Economia do mundo — 5 de junho de 2012 #

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil