Busca:

A Economia do Lula no G20


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que o G-20 foi mais um passo para alcançar um equilíbrio na economia global. “Muitas pessoas estavam céticas quando o G-20 surgiu em 2008, quando fizemos nosso primeiro encontro”, disse.

O presidente considerou que foram dados passos importantes, embora ainda temos o problema do baixo crescimento da economia europeia, os EUA eo Japão. Ele disse que todos concordam sobre a necessidade de equilibrar a economia. “Caso contrário vamos matar o multilateralismo”, disse ele, observando que deu passos importantes.

“O documento é forte, contundente, dá orientações claras e, portanto, não acredito que finalmente estamos a discutir mais em um clubezinho fechado como G-8, mas no G-20”.

Para Lula, os dois principais assuntos discutidos na reunião foram a guerra das moedas com duras críticas dos Estados Unidos e a China a desvalorizar suas moedas para facilitar as suas políticas comerciais. Ele disse que houve consenso sobre a necessidade de equilíbrio neste momento de nenhum benefício.

O outro ponto foi o acordo para retomar e concluir as negociações de Doha, é o único comércio que irá impulsionar o crescimento da economia global, disse o presidente brasileiro. Portanto, se eu tivesse que fazer uma avaliação do G-20, Lula disse que “foi muito importante, foi um passo para o equilíbrio da economia global.”

A observação é bem válida, conforme declarou o Presidente do Banco Central Henrique Meirelles, para os países emergentes. Mais ainda para os que estão atualmente com suas economias aquecidas. “Para o Brasil os efeitos são negativos e temos deixado essa posição muito clara. Isso porque criam-se distorções de preços importantes para o país, tendo como efeito colateral a desvalorização do dólar“, afirmou.

Post Relacionados

Sem comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil