INCLUDES_HEADER
Busca:
BANNER_TOP_960

Brasil pode cortar superavit primario


Diretório de empresas: uma solução para a minha pequena empresa


Directorio-de-EmpresasAo iniciar um negócio e começar a trabalhar de forma independente é importante para analisar várias questões. Entre os aspectos que devem ser considerados são os custos, receitas, mercado, vai contratar funcionários e clientes potenciais que você começa.

Embora muitos desses aspectos podem encontrar-se com um contador, outros dependem de nós. Se nós somos os donos de uma SME que começaria a vender um produto ou um serviço, é muito importante que cheguemos a consumidores que podem comprar o que oferecemos.

Uma alternativa simples, mas muito eficaz é a de adicionar a nossa empresa em um diretório como InfoisInfo no Brasil, oferecendo uma boa informação sobre os serviços que cada empresa oferece aos seus clientes.

Entre os benefícios oferecidos para as empresas é que podemos acrescentar a nossa carreira informação livre, através de alguns passos muito simples, mas que pode trazer benefícios.

Além do nome da empresa e as atividades oferecidas, uma vez que temos uma conta no diretório vamos apresentar todos os dados que precisamos para os nossos potenciais clientes podem entrar em contato conosco diretamente.

Assim, quando um cliente precisa de informações sobre a nossa empresa e deseja entrar em contato conosco, utilize os dados de contato publicados no anuário de negócio registro.

Outra vantagem é que é possível modificar os nossos dados se a empresa muda-se para outro local ou adicionar atividades de negócios, permitindo ter actualizado o nosso perfil.

Não hesite, se você é um freelancer ou tem uma venture com um parceiro, um diretório de negócio, você pode chegar diretamente a seus clientes sem gastar dinheiro

Investir no Mercado Forex


No mercado Forex, existe uma variedade de indicadores (para medir tendências, oscilações, volumes, etc.) com os quais, aplicados com diferentes técnicas e regras de manejo de dinheiro, tem se criado centenas de sistemas de comercio.

clip_image002

O curioso do caso e que si os analisamos um por um e os aplicamos num gráfico, veremos que a maioria funciona satisfatoriamente, então, ¿porque o 95% das pessoas que investem dinheiro no forex e decidem ser eles quem o manejam sofrem perdas?

A resposta e muito simples, as pessoas não estão capacitadas para faze-lo.

Souber se você esta interessado em comercial no mercado forex por seus próprios meios ou confiar em um broker profissional, e a nosso entender, o primeiro e mais importante por resolver.

Esta decisão vai depender de vários fatores muito importantes: dispor de tempo para adquirir conhecimento, dominho mental, treinamento, etc.

Si não esta em condições de cumprir estes requisitos indispensáveis, então, conta com duas opções, não investir no mercado forex ou deixar que seu dinheiro seja conduzido por um broker (existem milhares de companhias, bem reguladas e que contam com profissionais de grande nível).

E muito comum em pessoas que faz pouco tempo se iniciaram nesse apaixonante mundo do forex, abrir uma conta virtual em qualquer companhia para praticar, logo perdendo,abrem outra e outra e assim por diante.

Depois de alguns meses e varias contas aonde perderam todo o dinheiro que tinham, forman uma na qual começam a ganhar, então pensam “ate que enfim já apreendi, já estou pronto para abrir uma conta de verdade e começar a ganhar dinheiro”. Na realidade se levamos em conta com atenção, as vezes se achava 20% por cima, outras 40% embaixo. Com isto pode se concluir que os ganhos “no jogo” podem ter sido isso, uma questão de sorte.

Se realmente deseja investir no mercado forex e ter êxito, o primeiro paso e que um broker conduza a sua conta, entanto, abra uma conta virtual, apreenda sobre indicadores, regras de conduta do dinheiro, desenvolva um método ou sistema, aplique-o e tome notas num livro tudo quanto experimentou (isto vai lhe permitir apreender de erros e acertos feitos).

Depois de um ano de prática, de ter participado em algumas competências livres e ter um sistema perante o qual se sinta seguro, só então, terá possibilidades de ter êxito com uma conta de dinheiro vivo e verdadeiro.

Sempre lembre, até para o broker mais experimentado, sempre existe alguma coisa nova por apreender.

Brasil e Crise financeira


Sólido desempenho da economia brasileira durante a crise financeira e sua recuperação forte e precoce, incluindo 2010 crescimento de 7,5%, contribuíram para a transição do país a partir de uma regional para uma potência global.

Deverá continuar a crescer na faixa de 4% a 5%, a economia é o oitavo maior e deverá subir para o quinto lugar nos próximos anos. Durante a administração do ex-presidente Lula, ao subir as exportações, o crescimento econômico e programas sociais ajudaram a tirar dezenas de milhões de brasileiros da pobreza. Pela primeira vez, a maioria dos brasileiros agora são da classe média, eo consumo interno tornou-se um importante motor do crescimento brasileiro. Presidente Dilma Rousseff, que tomou posse em 01 de janeiro de 2011, indicou a sua intenção de continuar as políticas econômicas do ex-presidente, incluindo uma boa gestão fiscal, controle da inflação e uma taxa de câmbio flutuante.

Aumento do emprego e da demanda doméstica forte empurrou a inflação para quase 6% em 2010, levando o banco central a aumentar as taxas de juros e do governo Dilma Rousseff para anunciar cortes de gastos em 2011. O boom econômico e altas taxas de juros atraíram fluxos de moeda estrangeira que têm impulsionado o valor da moeda (o real) por quase 40% desde o início de 2009. Em um esforço para limitar a valorização, o governo aumentou as reservas em dólares e controles de capital.

O Brasil é geralmente aberto e incentiva o investimento estrangeiro. É o maior receptor de investimento estrangeiro direto (IED) na América Latina e Estados Unidos é tradicionalmente o principal investidor estrangeiro no Brasil. Uma vez que a poupança interna não são suficientes para sustentar a longo prazo altas taxas de crescimento, o Brasil deve continuar a atrair investimento directo estrangeiro, especialmente porque o governo planeja investir bilhões de dólares em off-shore de petróleo, energia nuclear, e setores de infra-estrutura ao longo dos próximos anos . As principais competições internacionais de atletismo que o Brasil sediará a cada ano até o Rio 2016, Olimpíadas também estão levando o governo a investir em estradas, aeroportos, instalações desportivas, e outras áreas.

Política de Comércio
Presidente Dilma vai continuar a fazer o crescimento econômico e as prioridades de topo de alívio da pobreza. Promoção das exportações é um componente principal nos planos para gerar crescimento e reduzir o que é visto como uma vulnerabilidade a flutuações internacionais do mercado financeiro. Para aumentar as exportações, o governo está buscando acesso aos mercados estrangeiros por meio de negociações comerciais e de promoção de exportação maior, assim como medidas para promover as exportações.

O Brasil tem sido um jogador de liderança nas negociações da Organização Mundial do Comércio da Rodada de Doha e continua a tentar trazer esse esforço para conclusão bem sucedida. Para aumentar ainda mais o seu perfil internacional (tanto econômica e politicamente), a administração Rousseff também está buscando laços comerciais expandidas com países em desenvolvimento, bem como um reforço do (Mercosul em espanhol) união aduaneira do Mercosul com o Uruguai, Paraguai e Argentina. Em 2008, o Mercosul concluiu um acordo de livre comércio com Israel, e um outro arranjo com o Egito foi assinado em 2010. Mercosul está buscando negociações de livre comércio com o México eo Canadá e negociações comerciais foram retomadas com a UE. O bloco comercial também planeja lançar trilaterais negociações de livre comércio com a Índia e África do Sul, com base nos acordos comerciais parciais de liberalização celebrados com esses países em 2004. China aumentou significativamente suas compras de soja brasileira, minério de ferro e aço nos últimos anos, tornando-se no mercado de exportação do Brasil principal e uma importante fonte de investimento.

Agricultura
A agricultura é um setor importante da economia brasileira, e é a chave para o crescimento econômico e de câmbio. Agricultura responde por cerca de 6% do PIB (25% quando se incluem o agronegócio) e 36% das exportações brasileiras. Brasil teve um saldo comercial positivo agrícola de US $ 55 bilhões em 2009. Brasil é o maior produtor mundial de cana, café, frutas tropicais, suco de laranja concentrado e congelado (FCOJ), e tem o maior rebanho bovino comercial do (50% maior do que os EUA) a 170 milhões de cabeças. O Brasil também é um importante produtor de soja (segunda para os Estados Unidos), milho, algodão, cacau, tabaco e produtos florestais. O restante da produção agrícola é no sector da pecuária, principalmente a produção de carne bovina e de aves (o segundo para os Estados Unidos), carne suína, leite, frutos do mar e.

Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e
Cerca de metade do Brasil é coberto por florestas, eo Brasil tem a maior parte da floresta do mundo, o maior chuva, a Amazônia.Pouco menos de 40% da Amazônia, e, em menor medida, o Cerrado (savana tropical), é gerido pelos governos nacionais, estaduais ou municipais, ou como unidades de conservação, concessões florestais, ou oficialmente designados terras indígenas. Nos últimos 30 anos, a migração para a Amazônia ea conversão de terras florestais, principalmente para uso agrícola, redução da cobertura florestal na Amazônia brasileira em 20%. Através de iniciativas como a revitalização de pastagens degradadas e florestas, agricultura, pecuária e integração, o governo fez progressos na redução do desmatamento para uso agrícola. No entanto, o desmatamento devido à extração ilegal de madeira continua a ser um problema sério. Em 2006, o governo criou o Serviço Florestal Brasileiro com o objetivo de gerir de forma sustentável os recursos da floresta amazônica.

Embora o Brasil teve um início lento em 2010, em tomar medidas para defender os seus compromissos de mudanças climáticas feitas na COP-15 em Copenhague, no final de 2010 tinha avançou com uma acção concreta demonstração de resultados sobre as alterações climáticas. Iniciativas nacionais do Brasil serviu para demonstrar a intenção do país para solidificar seu papel como um líder nas negociações internacionais sobre mudança climática. O mais baixo de sempre taxa de desmatamento da Amazônia, os números atualizados de inventário do Brasil sobre as emissões de gases de efeito estufa, um plano de acção nacional, ea implementação do Fundo Nacional de Mudanças Climáticas foram medidas concretas domésticos tomadas pelo Governo do Brasil para responder às preocupações da mudança climática e foram um sinalizar para a comunidade internacional ressaltando que o Brasil está de fato tentando cumprir as metas ambiciosas apresentadas na COP-15. Figuras de 2010 demonstrou que o Brasil reduziu a taxa de desmatamento na Amazônia em mais de 70%, a menor taxa de desmatamento em mais de 20 anos, e funcionários do governo prevêem que, no atual ritmo, a meta do Brasil de reduzir as emissões de gases de efeito estufa de 36,1% para 38,9% pode ser alcançado até 2016, em vez de 2020. O Brasil também aumentou os seus programas em outros biomas sob risco de desmatamento significativo. Na COP-16 em dezembro de 2010 em Cancun, a delegação do governo brasileiro desempenhou um papel importante na intermediação do resultado central da conferência – uma caracterização dos compromissos dos países no âmbito do Protocolo de Quioto que poderia permitir que os defensores do Protocolo de dizer que pode continuar em um segundo período de compromisso.

O Brasil é um líder em ciência e tecnologia na América do Sul e líder global em alguns campos, como os biocombustíveis, pesquisa agrícola, deep-sea produção de petróleo e sensoriamento remoto. O governo brasileiro pretende desenvolver um ambiente que é mais favorável à inovação, tendo avanços científicos do laboratório para o mercado, a fim de promover o crescimento econômico. No entanto, existem ainda alguns desafios. Com a grande maioria da população vivendo em áreas urbanas, o Brasil enfrenta sérios obstáculos ambientais no fornecimento de água potável para seus cidadãos e remover e tratar seus efluentes.

Pesquisadores do governo dos EUA, o setor privado e acadêmico têm fortes ligações com colegas brasileiros. Áreas em que há uma estreita cooperação incluir os biocombustíveis, pesquisa médica, sensoriamento remoto e agricultura. A extensão da cooperação científica e tecnológica bilateral é áreas de expansão e prospectivo, em que a expansão incluem materiais avançados, telecomunicações, transmissão de energia e eficiência energética. Limitações à cooperação incluem restrições substanciais a pesquisadores estrangeiros de recolha ou de estudo de materiais biológicos, devido a preocupações com tomada não autorizada possível e comercialização de recursos genéticos ou conhecimentos tradicionais das comunidades indígenas (muitas vezes referida como “biopirataria”).

Outros Aspectos
O Brasil tem um dos setores industriais mais avançados da América Latina. Representando cerca de um terço do PIB, diversas indústrias do Brasil incluem automóveis e autopeças, máquinas e equipamentos, têxteis, calçados, cimento, computadores, aviões e bens de consumo duráveis. O Brasil continua a ser um fornecedor principal do mundo de commodities e recursos naturais, com operações significativas em madeira, ferro, estanho, outros minerais e produtos petroquímicos. O Brasil tem uma diversificada e sofisticada indústria de serviços, bem como, incluindo telecomunicações desenvolvidos, bancários, energia, comércio e setores de computação. O setor financeiro é seguro e oferece às empresas locais com uma ampla gama de produtos financeiros, mas as taxas de juros permanecem entre as mais altas do mundo. As maiores empresas financeiras são brasileiros (e os dois maiores bancos são de propriedade do governo), mas EUA e outras empresas estrangeiras têm uma quota importante do mercado.

Governo iniciou a privatização a partir de 1996 desencadeou uma avalanche de investidores em telecomunicações, energia e transportes. A privatização no setor de transportes tem estado particularmente activo nos últimos 20 anos. Muitas estruturas estatais antiquadas e onerosas de gestão que operavam no setor foram desmantelados, apesar de alguns ainda existem. A indústria ferroviária brasileira foi privatizada através de contratos de concessão que variam de 30 a 60 anos, eo setor está passando por portos semelhante, embora menos expansivo privatização. Em resposta à deterioração dramática no sistema rodoviário nacional, o governo federal de concessões de rodovias existentes para empresas privadas, que por sua vez, na promessa de restaurar, manter e expandir essas rodovias em troca de receitas de portagem gerados. Novas oportunidades devem surgir com a abertura dos aeroportos brasileiros civis para a gestão privada e investimento através de um modelo de concessão federal, mas a iniciativa enfrenta obstáculos devido a questões em torno da soberania e da oposição dos sindicatos do aeroporto. Os Estados Unidos eo Brasil assinaram um Acordo Air liberalização dos serviços em 2008, que aumentou o transporte aéreo comercial entre os dois países. Em 2010, eles rubricado um acordo de transporte aéreo e um memorando de transporte aéreo de entendimento de que, quando são assinados e entrar em vigor, vai continuar e expandir este processo.

O Governo do Brasil empreendeu um ambicioso programa para reduzir a dependência do petróleo importado. Em meados dos anos 1980, as importações responderam por mais de 70% do petróleo do Brasil e as necessidades de seus derivados; o valor líquido é zero. O Brasil anunciou no início de 2008 a descoberta do Tupi e campos de petróleo Carioca, na costa do Rio de Janeiro. As reservas de petróleo nesses campos são conservadoramente estimado em entre 30 bilhões e 80 bilhões de barris, o que colocou o Brasil entre os 10 melhores países do mundo em reservas. A saída do existente na Bacia de Campos e da descoberta dos novos campos pode transformar o Brasil em um exportador importante de petróleo até 2015. O Brasil é um dos principais produtores mundiais de energia hidrelétrica. De sua capacidade instalada total de geração de energia elétrica de 112.000 megawatts, a energia hídrica é responsável por 77.000 megawatts (69%). O Brasil é também o maior exportador mundial de biocombustíveis e etanol à base de açúcar torna-se mais de 50% do seu consumo de combustível do veículo. Brasil e Estados Unidos, como maiores produtores mundiais de biocombustíveis, estamos trabalhando em conjunto através de um memorando de entendimento para 2007 ajudam a tornar os biocombustíveis sustentáveis ​​uma commodity global.

Tal como o seu abastecimento de combustíveis à base de carbono fósseis, recursos comprovados minerais do Brasil são extensas. Ferro grande e reservas de manganês são importantes fontes de matérias-primas industriais e receitas de exportação.As empresas de mineração, a maioria deles brasileiros, tendem a preferir explorar os depósitos de níquel, estanho, cromita, bauxita, berílio, cobre, chumbo, zinco, tungstênio, ouro e outros minerais. De alta qualidade, carvão de coque de grau exigido na indústria do aço está em falta.

Atividades económicas


Indústria

A economia brasileira vai relativamente bem, mas a indústria está praticamente estagnada, castigada por uma série de fatores, tais como a pesada carga tributária (cerca de 50%), juros altos, salários crescentes, burocracia oficial, deficiente infraestrutura e taxa de câmbio adversa. Diante da ameaça de desindustrialização, o Ministro da Fazenda assumiu o comando das iniciativas para reverter essa situação. A primeira medida, correta, foi aplicar o IOF de 6% aos ingressos de capital externo de menos de 5 anos, com visível efeito sobre a taxa de câmbio, que já chegou a R$ 1,80 por dólar. Parabéns.

Economia2A segunda medida constitui um equívoco, qual seja, o de pretender reduzir o peso da carga tributária transferindo a contribuição previdenciária do empregador (e a do empregado?) da folha de pagamento para o faturamento. Essa medida já foi adotada antes, experimentalmente, para um pequeno grupo de empresas, e o resultado foi nulo, possivelmente negativo. Insistir nessa direção é como “mudar o sofá de lugar”.

A situação da indústria nacional é preocupante. Após permanecer estagnada em 2011 (+0,3%), a produção industrial caiu 2,1% em janeiro/12, segundo o IBGE. Em 2010, o setor havia crescido 10,5%. A produção da indústria automobilística caiu 19,5% nos dois primeiros meses do ano, e a de máquinas agrícolas caiu 6,4%, em relação ao mesmo período do ano anterior. A produção de petróleo foi recorde em janeiro, com 2,231 milhões de b/d e o consumo de gás cresceu 3,6%. A venda de imóveis novos em São Paulo sofreu queda de 15,3% em 2011, ante 2010.

Mais

O pior já passou. Mas reflexos mais graves ainda podem estar por vir


Na tentativa de manter a tranqüilidade diante da crise global, o governo federal adotou a tese de que o pior já passou. Ministros como Guido Mantega, da Fazenda, e José Múcio Monteiro, das Relações Institucionais, deram entrevistas na última semana transmitindo a mensagem de que o país sobreviveu à fase mais aguda da turbulência.

Economia13

De fato, os mercados se comportaram melhor nos últimos dez dias – o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) passou de 29 mil pontos, no dia 27 de outubro, para 40 mil pontos na terça-feria, dia 4, enquanto o dólar tem oscilado menos do que nas três primeiras semanas de outubro. O problema da tese oficial é que ela deixa de fora todos os efeitos da crise sobre a economia real, e desdenha do risco de um novo momento de pânico.

“Discordo da avaliação do governo”, diz o economista Marcelo Curado, professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR). “O que passou foi uma fase de ajustes nos preços de ativos, como ações e o dólar. O reflexo da crise no lado real da economia será mais grave e não está nem perto de ter mostrado a cara inteiramente.”

Mais

Economia brasileira deve ganhar força a partir do segundo trimestre


A economia brasileira deve crescer 3,7% neste ano, afirmou nesta quinta-feira (29) o economista-chefe do Bradesco, Octavio de Barros. A expectativa é um pouco superior à media do mercado, já que o último Relatório Focus revelou projeção de 3,2%.

Economia6Em encontro com executivos do varejo e membros do conselho de desenvolvimento estratégico da Alshop, Octavio afirmou que o fundo do poço da crise será o primeiro trimestre deste ano, quando a expectativa é que o crescimento anualizado seja de 0,6%.

Esse número, no entanto, já é fruto de uma revisão, tendo em vista que a estimativa anterior era de cerca de 1%. Uma nova leitura foi necessária após constatar altos níveis de estoques nas indústrias, afirmou.

Mais

ANALYTICS_CODE